Notícias

Começa em novembro a segunda etapa da vacinação contra febre aftosa em 18 estados brasileiros e Distrito Federal

comeca-em-novembro-a-segunda-etapa-da-vacinacao-contra-febre-aftosa-em-18-estados-brasileiros-e-distrito-federal-capa Começa em novembro a segunda etapa da vacinação contra febre aftosa em 18 estados brasileiros e Distrito Federal

 Aproveite o manejo do rebanho para vermifugar o gado

Em novembro, 18 estados brasileiros e o Distrito Federal iniciam a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, doença altamente contagiosa que pode ser fatal em animais jovens. Nesta etapa, serão vacinados bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade na maioria dos estados. Confira aqui o calendário com o período de vacinação em cada estado. Aproveite o manejo dos animais para vermifugar o gado e evitar perdas de produtividade.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) informou que cerca de 70 milhões de animais devem ser vacinados contra febre aftosa nesta segunda etapa de vacinação, que se inicia no mês de novembro.

Segundo técnicos da Divisão de Febre Aftosa da Secretaria de Defesa Agropecuária do MAPA, tão importante quanto a vacinação correta é o preenchimento completo da declaração de vacinação e entrega online ou, quando não for possível, presencialmente nos postos designados pelo serviço veterinário estadual nos prazos estipulados.

Outra orientação do Ministério é que as vacinas sejam adquiridas em revendas autorizadas e sejam mantidas entre 2ºC e 8ºC, desde a aquisição até o momento da utilização. Deve ser usadas agulhas novas para aplicação da dose de 2 ml na tábua do pescoço de cada animal. Prefira os horários mais frescos do dia para fazer a contenção adequada dos animais e a aplicação da vacina.

Proteja o rebanho, mas não descuide da sua saúde!

É importante que os produtores sigam o calendário de vacinação contra febre aftosa, para garantir o reconhecimento de que os animais estão em áreas livres da doença, conforme estabelece a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE). Porém, alguns cuidados precisam ser tomados durante a vacinação para proteger a saúde dos trabalhadores rurais.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) produziu, em abril de 2020, o comunicado técnico "Vacinação contra febre aftosa e a Covid-19: como proteger o rebanho sem descuidar da saúde do trabalhador rural". Na publicação são destacadas algumas medidas preventivas durante as atividades de vacinação. Confira abaixo algumas dicas!

  • Lave frequentemente as mãos com água e sabão ou use álcool em gel 70%;
  • Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e a boca com o braço;
  • Evite tocar o rosto, especialmente olhos, nariz e boca;
  • Use máscaras;
  • Procure manter distância média de 2 metros entre as pessoas durante o manejo com os animais;
  • Cumprimentos próximos e toques devem ser evitados, bem como práticas que envolvem aglomeração como tomar água usando a mesma caneca, compartilhar bombas de chimarrão e tereré, por exemplo;
  • Dê preferência para que o uso das pistolas e outros equipamentos de vacinação, sejam individuais por trabalhador e haja o menor contato possível entre eles;
  • Evite que pessoas que não estejam diretamente ligadas ao processo de vacinação permaneçam no local;
  • Objetos pessoais devem ser higienizados com frequência e pratos, talheres e copos não devem ser compartilhados;
  • Caso apresente algum sintoma, procure o Serviço de Saúde mais próximo para avaliação;
  • Mantenha os ambientes limpos e ventilados.

Reuniu seu rebanho para vacinação? Aproveite e vermifugue o gado!

Para a vacinação dos animais contra a febre aftosa, o produtor rural precisa reunir seu rebanho. Que tal aproveitar esse momento para fazer outra ação bastante importante para a saúde dos animais, a vermifugação?

As verminoses são consideradas inimigas silenciosas, atingindo bovinos de leite e de corte e trazendo grandes prejuízos aos produtores por comprometerem a produtividade do rebanho, atrasando o crescimento e diminuindo a produção de carne e leite. A contaminação severa pode levar os animais a morte.

Protocolo Bimeda para controle das verminoses

Os investimentos com vermífugos apresentam apenas 1% de todo o montante dos custos total de produção de bovinos de corte, ou seja, os medicamentos, quando usados de forma adequada, representam uma estratégia excelente e ótimo retorno sobre os investimentos para o tratamento da doença e redução dos prejuízos dos produtores, que são bem superiores aos valores do tratamento.

A Bimeda, empresa global de saúde animal, possui um portfólio completo de produtos para controle das principais verminoses. Os medicamentos são indicados para uso até os primeiros 12 meses de idade dos bovinos de corte e leite, após um ano e na entrada no confinamento e na extensão.

A indicação ao produtor é sempre consultar um médico-veterinário, que fará a melhor indicação de uso dos produtos. É preciso usar medicamentos de largo espectro de ação e verificar a validade. Nas vacas leiteiras, fique atento ao período de descarte do leite. Alguns vermífugos não devem ser usados no período de lactação, pois podem deixar resíduo no leite, o que é prejudicial ao consumo humano. 

Aprenda a controlar os carrapatos em bovinos
Selo Carne Carbono Neutro é concedido a propriedad...

By accepting you will be accessing a service provided by a third-party external to https://www.bimeda.com.br/