Notícias

Atenção no nascimento do bezerro reflete no desenvolvimento do animal até a fase adulta

WhatsApp-Image-2021-08-12-at-15.47.22

Planejar o período de nascimento é ferramenta ideal para o manejo do rebanho

Estabelecer cronogramas nas fazendas é uma importante estratégia adotada pelos pecuaristas, para que melhores resultados e melhores desempenhos de rebanho sejam atingidos durante o ano todo. Planejar o período de nascimento dos bezerros para a estação mais adequada é um dos passos necessários para diminuir a incidência de doenças e parasitas, consequentemente garantindo um desenvolvimento saudável dos animais.

Estudos apontam que a estação mais recomendada para o nascimento de bezerros é a seca, que corresponde ao período do inverno brasileiro. A seca dificulta a propagação e a vida das bactérias e parasitas que provocam diarréias, verminoses e bicheiras nos bezerros. A estação de monta, consequentemente, deve ser planejada tendo em mente o período mais adequado para o nascimento dos bezerros.

Os cuidados com o recém-nascido, no entanto, devem começar antes do parto, com o manejo de vacas no final da gestação. O uso de pastagens exclusivas para vacas nesta fase visa facilitar a implementação de uma rotina de acompanhamento dos partos e o manejo de vacas e bezerros ao nascimento.

No período final de gestação, o manejo de vacas prenhes deve ser realizado apenas quando houver extrema necessidade. Nesta situação, o manejo deve ser feito com calma, conduzindo as vacas sempre ao passo, evitando aglomerações, agressões e uso de choque.

Um pasto com condições adequadas à maternidade é aquele que oferta espaço, sombra, água e alimento à vontade para todas as vacas. Este local deve ser calmo, longe da movimentação da fazenda, para que não haja interferência no processo de reconhecimento mútuo entre a vaca e o bezerro.

Os procedimentos pós-parto de identificação, assepsia do umbigo, aplicação de vermífugo e pesagem dos bezerros devem ser efetuados no dia seguinte ao nascimento, para não interferir na formação do vínculo entre mãe e bezerro. Quando estes manejos são realizados no dia do nascimento há maior risco de rejeição materna e da vaca pisotear o bezerro. Por outro lado, se os manejos ocorrem mais tarde do que o recomendado, a partir do terceiro dia de vida do bezerro, será mais difícil fazer a contenção, pois, nesta fase, o animal já é ágil e, além disso, há maior risco da ocorrência de bicheiras no umbigo.

Cidental: solução matabicheira

Para o tratamento, e até mesmo para a prevenção, de eventuais casos de bicheira, a Bimeda conta com o Cidental, produto indicado para bovinos para a aplicação no umbigo dos bezerros recém-nascidos, atuando como larvicida, repelente de moscas em geral (Musca domestica e Cochliomyia hominivorax), na cura e na prevenção das miíases (bicheiras) causadas por Cochliomyia hominivorax.

O Cidental possui alto poder desalojante, eliminando as larvas fora da ferida. Dessa forma, evita-se queimar o umbigo ou os próprios ferimentos. O produto é aplicado de forma prática e não faz barulho, não assustando o animal durante o processo.

Doracide: garantia de saúde, produtividade e resultados

Além da cura do umbigo bem feita, é importante adotar estratégias de prevenção contra o aparecimento de miíases futuras. Para isso, o uso de um endectocida é recomendada. A aplicação de Doracide, solução da Bimeda que contém Doramectina 1%, é altamente indicada para que o bezerro fique livre de miíases por um longo período após a administração do produto. 

Residual de progesterona no Biprogest é analisado ...

By accepting you will be accessing a service provided by a third-party external to https://www.bimeda.com.br/